Basta viajar poucas vezes de avião para a sua chance de ter passado por uma turbulência ser grande. Mas até que ponto devemos nos preocupar de fato com esses fenômenos?

Há sempre alguma história assustadora sobre turbulências fortes, que machucaram passageiros e a tripulação. Mas, de acordo com muitas pesquisas, elas não são uma grande ameaça como aparentam. A não ser, é claro, que você não esteja usando o cinto de segurança.

Primeiro fato muito importante sobre esse assunto: se você passar por uma turbulência, isso NÃO SIGNIFICA QUE EU AVIÃO IRÁ CAIR. A sensação de sentir a aeronave inteira balançando é péssima? É. Mas o seu avião não vai parar no cão por causa dela.

O que pode acontecer é um dano na aeronave. Mas gente, isso é muito raro, muito mesmo. Hoje me dia com a engenharia bastante evoluída das aeronaves, os cascos são resistentes, as asas conseguem dobrar em até 90 graus em testes e alguns aviões possuem sensores que já detectam as turbulências. Concluindo: atualmente, acidentes relacionados a turbulências são relacionados a outros fatores, como mal funcionamento ou um erro do piloto.

O que acontece com mais frequência (mas ainda sim é raramente) é uma turbulência forte obrigar os pilotos a terem que desviar da rota planejada e pousarem em outro aeroporto. E, na maioria das vezes, isso é feito por risco das pessoas se machucarem dentro do avião, não porque a aeronave não aguentaria o impacto.

E é frequente que pessoas se machuquem em turbulências?

Essa é uma informação difícil de ser obtida porque as linhas aéreas só costumam informar os dados quando o dano físico é considerado sério, ou seja, no caso de morte ou hospitalização por um longo período. Mas dois terços das ocorrências são em comissários de bordo pelo simples motivo que, normalmente, eles estão de pé, sem cinto de segurança.

E os pilotos?

OS pilotos são treinados para pensar, em primeiro lugar, no conforto e na segurança dos passageiros. Como existe uma comunicação em tempo real entre aviões, eles avisam uns aos outros de turbulência, além de falar também com torres de comando. Então é muito difícil que um piloto entre em uma área de turbulência desavisado, normalmnete ele já tem conhecimento do que ele irá encontrar.

No entanto, existe também a turbulência de ar limpo. a diferença delas para as que conhecemos é que essas ocorrem mesmo em um tempo limpo e sem nenhum sinal do radar. Como os pilotos não prevêem a turbulência, ela pode causar alguns machucados na tripulação. Porque, assim, os comissários de bordo, provavelmente, estarão suas funções normalmente.

Preciso ficar com medo?

Se fosse possível sermos 100% racionais nesse caso seria ótimo. Sabe porquê? Os números estão completamente a seu favor. A probabilidade de uma turbulência considerada severa é de um em um milhão. E, sabendo da zona de turbulência, os pilotos fazem o possível para desviar delas.

Eu sei que na hora é um pouco complicado, mas tente lembrar que o avião é, comprovadamente, a forma mais segura de viagem. Mas se você é desses que não conseguem, morrem de medo do mesmo jeito, fique sempre com o cinto afivelado. Assim, suas chances de se machucar serão ainda menores.

FONTE: Gizmodo